12 09, 2015

Antigamente era assim…

Por |setembro 12th, 2015|Café da manhã, Comida caseira, PF, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

aea03

Conhecer a cidade de São Paulo é um trabalho, ou passatempo, para poucos. Mas possui algumas recompensas. E claro, ótimas surpresas. O bairro da Lapa foi formado por imigrantes de diversas nacionalidades, isso no final do século XIX, começando com os italianos do norte da Itália.

Houve posteriormente, também imigração portuguesa, espanhola e francesa. Já no início do século XX, muitas indústrias se fixaram na região, principalmente pela proximidade do rio Tiete, estas empresas trouxeram seus operário e seus técnicos, de nacionalidades inglesas, croatas, lituanos, poloneses, russos e húngaros, os quais passaram a ser moradores da chamada Lapa de Baixo, caracterizada pelas casas geminadas típicas dos bairros operários das décadas de 20 e 30.

É nesse histórico cenário que provamos o almoço do “Antigamente era assim”, um restaurante numa pequena “ex-garagem”, bem arrumada e confortável. Ornada com alguns poucos utensílios do passado próximo, como uma máquina de costura, um liquidificador, algumas fotos, entre outros itens que aguçam a curiosidade dos cliente. Um lugar tranquilo, amigável e com boa comida.

Sobre a comida comentaremos a seguir, pois o grande diferencial do local é a simpatia. Não a simpatia bem treinada de garçons profissionais da maioria dos restaurantes das grandes capitais, no Antigamente Era Assim é algo natural, é uma demonstração de interesse pelo cliente. Até mais do que isso, talvez seja também o desejo de compartilhar algo que os proprietários gostam de fazer, materializado ali pelos pratos que oferecem. É aí que está boa comida.

Gostaria de, futuramente, falar sobre outros pratos, e talvez faça isso em breve, retornando ao local. Mas eis o que provamos: uma salada, com produtos de ótima qualidade e uma apresentação simples mas muito simpática. Vale temperar com o molho de azeite com mostarda. Mais o arroz com brócolis, a bem assada sobrecoxa de frango, e o purê irlandês (com couve). Tudo rápido, quente e simpaticamente servido pela atendente. E um manjar como sobremesa. Tudo com preço único, e abaixo dos R$ 25,00. Ou seja, pela qualidade o preço é ótimo.

Apesar da boa comida, a escolha de retorno vai pela simpatia do atendimento.

ATENDIMENTO

arroz, frango e purê.

arroz, frango e purê.

Onde: Rua Eng. Aubertin, 201 – Lapa, São Paulo, SP.
Quanto: entrada (salada ou sopa) + prato principal + sobremesa + lata de refrigerante: R$ 28,40. Os preços podem mudar conforme o prato.
Quando: segunda a sexta. Abre npara café da manhã e almoço.
Opção Vegetariana: não.
Sugestões: sexta é dia de risoto.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Não.
Site: –
Telefone:  (11) 3901-1938
Data visita: Setembro de 2015.
Facebook: https://www.facebook.com/antigamenteera
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

salada de entrada

salada de entrada

sobremesa

sobremesa

8 08, 2015

Feijoada no centro de São Paulo

Por |agosto 8th, 2015|Bar, feijoada, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

São Paulo, início da tarde, hora propícia para começar o almoço de sábado. O bar/restaurante fica voltado para a praça Don José Gaspar, uma ilha no centro velho, coberta pelas copas das árvores, tranquila e também protegida pela Biblioteca Mário de Andrade. E o ambiente faz jus à literatura desse paulistano, autor do livro Pauliceia Desvairada, de 1922, ano da Semana de Arte Moderna da qual também foi protagonista. Só a presença da biblioteca com características art déco, e um dos maiores acervos do país, fundada em 1925, obra do arquiteto francês Jacques Pilon, já traz o diferencial para a visita.

Quase um retorno aos anos idos, 1950, 1960, vê-se porque São Paulo era tão cantada, e, embora hoje degradada, passar algumas horas nesses escondidos locais, nos faz rever a importância de valorizarmos estabelecimentos como esse que prezam a riqueza da cultura gastronômica paulistana.

O restaurante é o tradicional Cachaçaria do Rancho, ótimo atendimento, localização privilegiada, e claro, ótima comida. E como sábado é dia de feijoada, foi esse o prato pedido.

Já provamos muitas feijoadas, muitas delas em restaurantes em bairros nobres, com todo excesso de cuidados e decorações para tornar a feijoada “de gastronomia”… não… feijoada é para comer no bar, em mesa com vista para praça, ou mesmo na praça, sob a sombra das árvores. Acompanhada com cerveja, caipirinha e roda de samba. E isso tudo tem ali na Cachaçaria do Rancho. Lugar animado, atendimento gentil, comida boa e preço justo. Não tem muito o que comentar.

Além da feijoada há um amplo cardápio, mas se for  num sábado, peça o prato típico.

A feijoada é muito boa, mas a visita vale mesmo pelo lugar.

AMBIENTE

feijoada "light"

feijoada “light”

Onde: Praça Don José Gaspar, 86/90  – Centro, São Paulo, SP.
Quanto: feijoada para 3 pessoas: R$ 90,00. Feijoada carioca (para 1 pessoa): R$ 30,00. Feijoada light (serve 2 pessoas): R$ 45,00.
Quando: segunda a sábado. 12:00- 0:00h.
Opção Vegetariana: não. Talvez batata frita
Sugestões: ligue e reserve sua mesa, ou chegue cedo para evitar longas esperas.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Anhangabaú.
Acessibilidade: Não.
Site: –
Telefone:  (11) 3259-7959
Data visita: Agosto de 2015.
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Cacha%C3%A7aria-do-Rancho/277367529098578-
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

feijoada light.....

feijoada light…..

 

12 07, 2015

Almanara República

Por |julho 12th, 2015|Árabe, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

Esse é rápido, já que foi uma visita surpresa. Tem um Almanara, casa fundada na década de 1950 por uma família libanesa que conta hoje com mais de 10 lojas, muito próxima da praça da República, no centro de São Paulo. Possui um lindo salão, com decoração mantida de décadas atrás, e uma área com um balcão típico dos bares do passado.

No balcão é possível pedir os pratos árabes, doces e salgados. As esfihas de vegetais e a de carne  são ótimas. Vela a visita pelo lugar, visitar o centro e escolher um bar com características do passado próximo. Colabora o bom atendimento.

AMBIENTE

Esfiha fechada de verduras.

Esfiha fechada de verduras.

Onde: Rua Basílio da Gama, 70. República. São Paulo, SP.
Quanto: Entre R$4,90 e R$9,00 (salgados).
Quando: todos os dias, 11:30 – 23:30.
Opção Vegetariana: sim.
Sugestões: Escolha um dia para comer no balcão e outro para curtir o restaurante ao lado.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: República.
Acessibilidade: Não.
Site: http://www.almanara.com.br
Telefone:  (11) 3257-7580
Data visita: Junho de 2015.
Facebook: https://www.facebook.com/Almanaraoficial
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

AR02

Esfiha de carne

Esfiha de carne

30 06, 2015

PASV

Por |junho 30th, 2015|Comida caseira, Comida de rua, Comida di Buteco, PF, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

logo

“…. quando cruza a Ipiranga com a Aveniiiida São João….” é ali na São João mesmo, importante e histórica via da cidade de São Paulo, e algumas quadras depois da Avenida Ipiranga onde encontramos o PASV (o nome é decorrente das iniciais dos sócios proprietários)… fica situado pouco antes da avenida ser encoberta pelo tão discutido “Minhocão” (ou o Elevado Costa e Silva em homenagem o presidente e militar da década de 1960), permanece num trecho quase deserto da rua, mas não por isso é pouco frequentado, aliás, sempre encontrará esse estabelecimento frequentado por uma diversificada clientela… desde famílias, casais de idosos e jovens em busca de uma boa e bem servida comida caseira.

O restaurante, de origem espanhola, possui um ótimo atendimento. O proprietário, Sr. Ramon, um senhor simpático e observador atende no balcão, demonstra preocupação com o atendimento e gentilmente oferece os pratos do cardápio. Só nesse quesito já vale a visita. Bom atendimento é essencial.

O ambiente é tradicional, da década de 60, com azulejos coloridos nas paredes, balcão de fórmica e motivos decorativos espanhóis. É tudo muito simples, mas não perde o conforto e acolhimento.

Ao chegar, a primeira escolha, mesas ou balcão… claro, balcão, tradicional e possibilitando uma melhor conversa com os atendentes e proprietários. Já sentado é oferecido a entrada com pão francês e uma batida de maracujá (aceite, é bom para iniciar o almoço!) mais escolhas, o amplo cardápio. Mas dessa vez a escolha foi rápida, o prato do dia.

O prato do dia era a dobradinha. Segunda é dia de virado à moda; terça a dobradinha, também “á moda”. Quarta feijoada; quinta ossobuco com purê e arroz; sexta feira, rabada á moda, sábado feijoada novamente e domingo cozido à espanhola! Ou seja, o retorno é garantido.

A dobradinha é um prato português, feita com bucho (estômago) de animais. Nessa versão espanhola há diversos tipos de carnes, como frango, linguiça, carne seca e claro, bucho. Para os desavisados parece estranho, mas é MUITO saboroso. O prato com feijão branco não possui excesso de tempero, ficando o sabor dos alimentos mais marcantes. Possui ainda batata  e cenoura cozidas, tomate, paio e toucinho. Sim, é importante pedir pimenta, como já sabem os leitores temos essa necessidade, e o prato com  pimenta fica muito mais saboroso. Tudo muito equilibrado e bem servido. Comida típica caseira, sem excesso de temperos.

Apesar do bom atendimento e clima simpático, a visita vale pela comida mesmo!

COMIDA

Dobradinha à moda, acompanha arroz.

Dobradinha à moda, acompanha arroz.

 

Dobradinha, não esqueça da pimenta.

Dobradinha, não esqueça da pimenta.

Onde: Av. São João, 1.145. Centro. São Paulo, SP.
Quanto: Dobradinha: R$ 28,00. refrigerante: R$ 4,00. Caipirinha: R$ 10,00. Feijoada Grande: R$ 70,00.
Quando: segunda à domingo, 11:30 às 23:30.
Opção Vegetariana: saladas, espaguete alho e óleo e ao sugo.
Sugestões: Vá sem pressa.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Sim, Estação Santa Cecília e República. Não muito perto, mas vale a caminhada pelo centro.
Acessibilidade: Não.
Site: http://www.pasvrestaurante.com.br/
Telefone:  (11) 3221-2715 ou (11) 3333-0848
Data visita: Junho de 2015.
Facebook: https://www.facebook.com/pages/PASV-Restaurante/225656377445254
Observações: -.

bem servida e com ótima apresentação.

bem servida e com ótima apresentação.

por último (mas pedir primeiro) a batida de maracujá.

por último (mas pedir primeiro) a batida de maracujá.

14 02, 2014

… cão véio mano…

Por |fevereiro 14th, 2014|Bar, Bares, Cerveja, Comida de rua, Comida di Buteco, Restaurantes, Sanduíche, São Paulo|0 Comentários|

cv-01

Rock,n roll e bom atendimento. Garçons com cara de bravos, mas simpáticos e, o melhor, conhecem os pratos e as bebidas que servem. Ambiente lotado de referências visuais, com quadros estranhos, móveis vintages, mas muito agradável.

É o Cão Véio, Bar cheio de contradições, mas um dos primeiros que valem a postagem neste blog. Porque o que vale é a experiência, e esse lugar proporciona isso. Ambiente agradável, atendimento especializado e cordial, uma boa carta de cervejas e a comida, ótima, equilibrada, bem produzida.

O Cão Véio é um desses bares que surpreendem. Pelos motivos acima citados e outros. Como o fato de ser um empreendimento do consagrado Chefe Henrique Fogaça (do Sal Gastronomia) e do Badauí, da banda CPM 22. Aí não tem erro, a boa comida e rock’n roll são certezas nesse bar.

Mas ok, temos os pratos (pois as cervejas deixaremos por último!!). Foram provados 3. O primeiro e mais pedido, o Fila Brasileiro, com filé mignon empanado, queijo gruyere e gorgonzola, acompanha um molho picante, mas nem tanto. Querendo algo realmente ardido, peça o “Colírio pro zóio”, pimenta da casa que é servida com conta-gotas, também à venda para os corajosos levarem para casa. Os leitores sabem que adoramos pimenta, e já não ligamos para índices de ardência abaixo de 50 mil, logo essa pimenta nos surpreendeu, ela é ótima!

O segundo prato foi um também ardido, Bicho do Mato, com muito jalapeño e linguiça de cateto gratinada. É um daqueles pratos que cada garfada provoca sabores diferentes. É picante na medida certa, mas desaconselhável para os mais sensíveis, peça harmonização com alguma cerveja de trigo. O último prato, um tipo de escondidinho de carne desfiada de cabrito, muito macia, e queijo gratinado. A sugestão é simples, peça essa prato. TAMBÉM.

Vale já citar que os preços são justos, fato difícil de encontrar em bares similares.

Às cervejas então.

Vou começar pela última, a espahola Estrella Damm Inedit, onde o renomado chefe catalão Ferran Adriá colocou sua mão, acrescentando toques de casca de laranja e alcaçuz. É uma das certas pedidas.

Seguem: a refrescante cerveja escocesa Brew Dog Dead Pony Club. A curitibana Diabólica, uma India Pale com 6,66% de graduação alcoólica. A já consagrada All Day IPA da americana Founders Brewing. Na sequência, ufa, a Houblon Chouffe, uma cerveja belga  amarga, conhecida como cerveja do duende por razões óbvias. (caso não seja tão óbvio, veja o rótulo, e não, não é devido à alta graduação alcoólica de 9%.).

Esse é um daqueles bares que certamente retornaremos, sugestão do amigo José Maria.

Difícil escolher qual o diferencial do restaurante, o ambiente é ótimo, o atendimento idem, mas a comida realmente é o melhor. Então, a escolha é pela…

COMIDA

 clique nas fotos para ampliar

escondidinho, fila brasileiro e ojalapeño com linguiça de cateto.

escondidinho, fila brasileiro e ojalapeño com linguiça de cateto.

A refrescante Brew Dog Dead Pony Club, a diabólica, e a houblon chouffe

A refrescante Brew Dog Dead Pony Club, a diabólica, e a houblon chouffe

Onde: Rua João Moura, 871. Pinheiros. São Paulo – SP.
Quanto: Porções: entre R$ 15,00 e R$ 30,00. Cervejas: entre R$ 10,00 e R$ 50,00
Quando: 2ª-6ª (16H-00H); sábado (16h-01h). Domingo não.
Opção Vegetariana: NÃO!
Sugestões: peça sugestão de harmonização entre os pratos e cervejas.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Estação Clínicas.
Acessibilidade: não.
Site: –
Telefone: 11.4371-7433
Data visita: Fevereiro de 2014.
Observações: optamos por um horário tranquilo, mas o bar costuma ficar bem cheio. E por último: SE BEBER, NÃO DIRIJA.

 

A melhor, a espanhola Estrella!

A Hardcore IPA, e a melhor de todas, a espanhola Estrella!

 

28 12, 2013

Em Santana

Por |dezembro 28th, 2013|Árabe, Restaurantes, São Paulo|1 Comentário|

IMG_0573

Adoramos restaurantes escondidos, aqueles localizados dentro dos bairros, inacessíveis para os moradores de outras localidades da cidade. E São Paulo possibilita sempre essas surpresas. Este é um restaurante libanês, sugestão dos amigos Erica e Cassiano Storai, antigos moradores da Zona Norte da cidade, e que já indicaram outras opções de boa comida nas cercanias de Santana.

A Casa Garabed fica numa tranquila rua próxima à Alfredo Pujol, essa sim bem conhecida na região. É uma casa simples dos anos 1940, década também do forno que assa as iguarias ali servidas. Apesar do tempo, é um ambiente acolhedor, organizado nas devidas possibilidades que o imóvel impõe e muito limpo, garantindo segurança e qualidade nos alimentos ofertados.

Vamos às esfihas. Medem cerca de 15 centímetros de diâmetro e possuem, entre outros, os seguintes sabores: as tradicionais carne e queijo, bastrmá, frango com catupiri, tomate seco e queijo, zahtar, queijo com verduras, verduras com anchovas. Destas provamos: de queijo, carne, bastrmá e frango com catupiri.

Não há muito o que comentar, pois são simplesmente ótimas. A de queijo vem com o mesmo derretendo, com alho, cebola e outras especiarias. Vale considerar a utilização de queijo e manteiga da marca Aviação no preparo dos salgados, faz a diferença.

A de carne com bastrmá, uma carne desidratada armênia, possui um tempero curioso que causa surpresa pela novidade, diferente de outras esfihas provadas em outros estabelecimentos. A mesma sensação recai sobre a esfiha de frango.

Para beber, Airan, uma bebida turca feita com iogurte, tradicionalmente salgada, mas para se adaptar ao gosto brasileiro adoçada com mel. Sem surpresas para quem gosta de iogurte com mel. Vela a pedida.

Conta também com os tradicionais doces sírios, com tâmaras, nozes, pistache, sêmola e halawi.

Enfim, Santana reserva boas surpresas, e será um dos bairros explorados com mais detalhes em breve.

Vale a visita e o retorno para provar dessa vez os pratos da casa. O diferencial:

COMIDA

Esfihas de queijo, carne e bastrmá.

Esfihas de queijo, carne e bastrmá.

Agora só a de queijo... derretendo...

Agora só a de queijo… derretendo…

Onde: Rua José Margarido, 216 – Santana – São Paulo – SP.
Quanto: Esfihas de queijo: R$ 6,50. Carne e bastrmá: R$ 9,85. Airan: R$ 7,10. Doces entre R$ 5,10 e R$ 7,20
Quando: terça a domingo, 12:00 h às 21:00 h.
Opção Vegetariana: Sim.
Sugestões: Provar indiscutivelmente a esfiha de queijo fechada.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Sim.
Perto do metrô: não.
Acessibilidade: não.
Site: www.casagarabed.com.br
Telefone: 11.2267.1810
Data visita: Dezembro de 2013.
Observações: não provamos, mas faz 6 meses que produzem sorvetes caseiros que parecem ótimos.

Doces e o Airam

Doces e o Airam (foto: Cassiano Storai)

31 10, 2013

Alho negro, a pizza!

Por |outubro 31st, 2013|Pizza, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

pizza (7)

Sim, como paulistano tenho uma daquelas paixões por pizzas, e contrariando muitos especialistas considero tal iguaria um item de boa gastronomia. Poderia elencar inúmeras ótimas pizzarias na cidade, e como frequentador constante talvez eleger as melhores pizzas. Mas seriam muitas, motivo porque nunca publicamos estes estabelecimentos visitados aqui no GCNR (Guia Comer Na Rua).

Mas como já sabem, a experiência é o objetivo de nossas descobertas, e foi na Vila São Francisco, um bairro da Zona Oeste de São Paulo, próximo da Universidade de São Paulo (USP) que nos últimos anos cresceu com muitos empreendimentos comerciais e principalmente residenciais, que encontramos uma pizzaria delivery.

O Vila Pizze & Panini foi inaugurado em 2005, faz entregas mas possui 3 mesas de 2 lugares para possíveis clientes. É pequeno, mas acolhedor, muito mais que outros lugares similares. Possui decoração rústica e esculturas em metal de autoria de um parente dos proprietários.

A casa possui algumas boas cervejas, como a Fritz Weizenbier de Minas Gerais. O atendimento é cordial, os proprietários explicam e sugerem sabores e opções de consumo. E assim optamos pelas duas pizzas abaixo descritas.

A primeira é a de alho negro. O alho negro nada mais é que o alho comum fermentado, pasteurizado e envelhecido, ganhando assim um sabor adocicado e frutado, além de uma macia textura. Mas mantém o aroma característico. A pizza leva além do pesto de alho negro, mussarela especial, tomate confit e nozes. A sugestão é provar, a pizza é ótima.

A outra pizza é chamada de Zero, leva mussarela, espinafre, peito de peru, tomate confit, raspa de limão, manjericão e páprica doce. Tudo perfeito, e a surpresa foi o fundo de limão e páprica que deixa a pizza curiosamente deliciosa.

Vale a visita.

Por último, a partir desse post estaremos qualificando os lugares com os atrativos que os tornam diferenciais. São três: AMBIENTE, COMIDA E ATENDIMENTO. Assim o leitor poderá escolher o lugar por uma dessas qualidades. O que não desqualifica o local em relação aos outros.

O Vila por exemplo, apesar de ter um ambiente muito agradável e um atendimento primoroso, ganha nosso carimbo de COMIDA, pois é, neste caso, o item que nos levaria de volta ao local.  Assim:

Escolha pela:
COMIDA

Pizza de alho negro

Pizza de alho negro

Onde: Av. Dr. Cândido Motta Filho, 154. Vila São Francisco. São Paulo, SP.
Quanto: Pizza de alho negro: R$ 47,00. Pizza Zero: R$ 49,00
Quando: domingo a quinta: 19h às 23h. Sexta a sábado: 19h às 23h30.
Opção Vegetariana: Sim.
Sugestões:
Como pagar: cartão ou dinheiro
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Sim.
Perto do metrô: não.
Acessibilidade: não.
Site: www.vilapizza.com.br
Telefone: (11) 3719.1418
Data visita: Outubro de 2013.
Observação:

Pizza de Alho Negro.

Pizza de Alho Negro.

Cerveja harmonizanda

Cerveja harmonizanda