11 06, 2017

Liberdade…. Aska

Por |junho 11th, 2017|Oriental, Restaurantes, São Paulo, Típicas|0 Comentários|

Sou um desses chatos que não suportam fila, mas enfrentei uma para comer no tão falado Aska, restaurante de “lámen”. Mas voltamos em breve para esse inconveniente.

O Lámen (pronuncia-se “raamen” e significa “massa esticada”) é de origem chinesa, mas se deu muito bem nas terras nipônicas. Basicamente uma sopa de macarrão, com verduras, carnes, frutos do mar, cebolinha, moyashi e broto de bambu. O lámen sempre possui um caldo base, que no caso do Aska pode ser: shoyo (com shoyo, óóó), misso (com pasta de soja) e shio (temperado apenas com sal). É bom saber antes de ir, pois não há muita paciência nos garçons para explicar a cada cliente que chega em sua primeira aventura no mundo do lámen.

Enfim, a primeira experiência com o restaurante é: sim, você vai ter que esperar. “ah, mas posso ir mais cedo ou em horário não usual”, pode, mas vai pegar fila de espera do mesmo jeito. Enfim, esperamos aproximadamente 1:30h, mas a fama, e as constantes recomendações foram suficientes para enfrentar o tempo na noite do bairro da Liberdade em São Paulo.

Enfim, já no balcão, a opção foi o Missô Tonkotsu, o lámen com carne. Delicioso prato, bem servido e preço justo. Com carne de porco e um ovo cozido com uma camada preta que não tem boa aparência e o gosto continua sendo de ovo, mas deixa o prato mais interessante na composição.

Mas não esqueci do que mais surpreendeu, o guioza. Este pastel chinês recheado, que também conquistou o gosto japonês, é produzido no Aska com massa fina, recheado com carne de porco, grelhado e cozido. Um dos melhores já provados!

Uma curiosidade, tem uma lista de “regras” para frequentar a casa, do tipo: “você vai esperar na rua, não pode esperar sentado”; “você vai dividir a mesa com outra pessoa caso haja fila de espera”; “saia o mais breve possível quando terminar”, entre outros que aparentemente não são tão simpáticos, mas talvez válidos pelo comportamento de alguns frequentadores.

Uma informação importante: NÃO ACEITAM CARTÕES, APENAS DINHEIRO.

Vale a visita pela comida e preço justo.

Colaborou: Thielly Zamorano

Fila de espera na porta do Aska

O ótimo lámen do Aska.

E o fantástico guioza.

Onde: Rua Galvão Bueno, 466. Liberdade, 607. São Paulo, SP.
Quanto: Tonkotsu Misso R$ 18,00. Gyoza R$ 12,00. Cerveja Proibida R$ 7,00.
Quando: Ter – Dom: 11:00 – 14:00 e 18:00 – 21:00.
Opção Vegetariana: não.
Sugestões: acompanhe com uma cerveja.
Como pagar: dinheiro.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Liberdade ou São Joaquim.
Acessibilidade: Não.
Site: –
Telefone: 11. 3277-9682
Data visita: Junho de 2017.
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Aska-Restaurante/186218581413879
Observações: relaxe e curta a espera.
Mapa: CLIQUE

A única cerveja disponível.

14 04, 2017

“ora poish”… bacalhau

Por |abril 14th, 2017|Restaurantes|0 Comentários|

Meu bisavô era da terrinha, a conhecida Portugal. O que transformava em um absurdo o fato de, quando criança, não suportar o tal do bacalhau, sempre presente nas mais diversas ocasiões na casa de meus avós. Felizmente as coisas mudam. Não só mudam, mas parece que esses tais genes nos obrigam a recordar o passado, com o desejo gigante de comer esse peixe salgado. Passa-se então a buscar no Google: “restaurante com bacalhau”… e apareceram muitas opções, mas 3 interessantes, votação feita e o escolhido foi o “Quinta do Olivardo”.

Bom, era domingo, e “quinta” nesse caso é qualquer propriedade de características rústicas e cercada de árvores, conforme a tradição portuguesa, e esse restaurante é assim, uma propriedade que traz o clima das fazendas para um passeio de fim de semana.

A primeira impressão é “caramba, deveria ter vindo mais cedo, porque tanta gente sai para comer de domingo???!!!”. Mas logo essa questão desaparece, o local é grande e possui vários estacionamentos, dispostos na propriedade.

E aí vem a segunda impressão: “caramba, deveria ter vindo mais cedo, vou esperar horas na fila!!”. Mas logo essa questão também desaparece, o lugar possui vários “quiosques”, com doces portugueses, bolinho de bacalhau, “prego no pão”, um tradicional lanche português. Além de chopp, vinho, vinho de chopp, suco de vinho, pastel e o bolo do Caco. Tem também um pseudo vinhedo e para as crianças muitas atividades.

O restaurante é arejado, tem uma grande sacada onde se pode ver a paisagem de São Roque, cidade a cerca de 60 km de São Paulo.

Há muitas opções no cardápio, mas nem todas disponíveis. Problema que foi contornado com simpatia pelo garçom, que sugeriu um prato conforme nosso desejo, um bacalhau em postas, no forno e com muito azeite. Também com batatas, cebolas, tomates, azeitonas pretas e ovo cozido. Bem servido e bem montado no prato pelo sempre simpático garçom. Nem preciso falar que é muito bom!!

No restaurante, os proprietários percorrem constantemente o salão. Ótimo! Parabéns!

Sobremesa: pastel de Santa Clara, pastel de Belém (nata) e pastel de Coimbra. Opte pelos três na primeira visita, já na segunda peça de uma vez os três dos pastéis de Belém. É o melhor, vem quente, já que produzem todos os dias, e pelo visto em grande quantidade, a cada hora um sino toca avisando que nova fornada saiu! E não sobra um.

Ah, agradeço a ótima companhia desta vez da Thielly Zamorano, que entende mais de comida do que a maioria, e que transforma qualquer refeição numa contínua sequencia de piadas inteligentes!

A comida é ótima, o atendimento idem, mas a visita vale pelo lugar:

Bacalhau, arroz e batatas.

Suco de uva, ou vinho.

Onde: Estrada do vinho, km 4. São Roque, SP.
Quanto: ceviches: Pratos com Bacalhau: entre R$ 163,00 e R$ 188,00. Sobremesas: R$ 7,00. Bolinho de bacalhau: R$ 7,00. Leitão à bairrada: R$ 187,00.
Quando: domingo à quinta: 9:30h às 17:30h. Sexta e sábados: 9:30h às 22:30h.
Opção Vegetariana: NÃO.
Sugestões: passe na lojinha antes de ir embora, opções de doces, vinhos, e produtos portugueses.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: o que é metrô?
Acessibilidade: Não.
Site: http://quintadoolivardo.com.br/
Telefone: 11 4711.1100 / 4711.1923
Data visita: Abril de 2017.
Facebook: https://www.facebook.com/QuintadoOlivardo/
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Lugar agradável


Vinhedos só para turista ver.

Os tais doces portugueses

Prato pronto

13 10, 2016

Sopa…

Por |outubro 13th, 2016|Restaurantes, São Paulo, SESC, sopa|0 Comentários|

mafalda-sopa-1

Mafalda, do cartunista argentino Quino, tem uma peculiaridade, ela odeia sopa. Característica que compartilho, ou compartilhava. Sopa, para alguns, pode ser sinônimo de doença, ou apenas consumida no frio, o que no Brasil não é contante.

Mas enfim, para aqueles que não sabem, a sopa é responsável pela existência dos restaurantes, afinal ela era oferecida nas “casas de restauro” (daí vem o nome restaurante) no século XVI. Era um para “restaurar” as forças dos viajantes, e era um caldo com carnes e batatas.

Mas ok, disse que não gostava de sopa. O tempo verbal mudou. Admito que gosto de sopa agora. E talvez a culpa recaia para o SESC Santo Amaro e suas sopas diárias. Antes: O SESC é o Serviço Social do Comércio, entidade que conta com unidades em todo o país, e oferece espaço para práticas esportivas, culturais e gastronômica. Esse último oferecido sempre com ótima qualidade em todas as unidades.

Voltando ao SESC Santo Amaro, sua área de alimentação, ou comedoria, encontra-se na entrada do edifício, com alto pé direito, vista para a piscina e mesas de uso coletivo, valorizando a interação entre os comensais. A entrada é livre.

Ótima sopa, ótimas sobremesas e preço justo. Vale a visita. E por último possui um ótimo preço!

COMIDA

Onde: Rua Amador Bueno, 505, Santo Amaro, São Paulo – SP
Quanto: Sopa: R$7,80; sobremesas: entre R$ 3,80 e R$ 5,40
Quando: terça a sexta 10h às 21h30 / sábados, domingos e feriados 10h às 18h30
Opção Vegetariana: sim, sempre 2 opções de sopa, com e sem proteína animal.
Sugestões: Horários de pico a fila fica longa.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: sim, Estação Santo Amaro.
Acessibilidade: Sim.
Site: https://www.sescsp.org.br/
Telefone:  –
Data visita: 2º semestre de 2016.
Facebook: –
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Sopa do SESC e sobremeça de paçoca

Sopa do SESC e sobremesa de paçoca

Sopa de Palmito e bolo de maçã.

Sopa de Palmito e bolo de maçã.

Sopa de mandioquinha e mousse de limão

Sopa de mandioquinha e mousse de limão

Sopa de feijoada e creme de cupuaçu.

Sopa de feijoada e creme de cupuaçu.

Sopa de feijão e bolo comemorativo

Sopa de feijão e bolo comemorativo

Sopa de abóbora, escondidinho de frango e bolo

Sopa de abóbora, escondidinho de frango e bolo

Sopa de Carne

Sopa de Carne

20070627-mafalda_sopa

13 10, 2016

Parmegiana

Por |outubro 13th, 2016|Parmegiana, Restaurant, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

O da Pompéia está lá desde 2001, o de Pinheiros desde 1969 e já são tradicionais, e oferecem o melhor bife à parmigiana de São Paulo, falamos, claro, sobre o Restaurante Degas, que fica numa esquina da Avenida Pompéia, na Zona Oeste da cidade de São Paulo.

É conhecido por oferecer o melhor bife à Parmigiana da cidade. Como curiosidade, o nome da iguara possui duas origens, ou significa o que vem da região de Parma na Itália, ou faz referência direta ao queijo parmesão. Segundo consta esse prato não existe na região, e alguns o consideram um prato brasileiro.

Dúvidas à parte, vale citar que o prato desse restaurante é realmente ótimo, bem preparado, molho perfeito, carne macia, e muito, mas muito queijo. Vale citar as crocantes batatas.

O ambiente é agradável e o atendimento realizado por experientes garçons, cordiais e amistosos. Mas o retorno vale pela comida mesmo.

COMIDA

Onde: Av. Pompéia, 796, São Paulo – SP
Quanto: Filé à parmigiana R$ 98,00, serve 2 pessoas.
Quando: todos os dias, das 11:30 às 23:30
Opção Vegetariana: sim, parmegiana de berinjela.
Sugestões: É slow food, vá para demorar o tempo que for.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim. (R$ 15,00 a primeira hora com carimbo)
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: não.
Acessibilidade: Sim.
Site: http://www.degaspompeia.com.br/
Telefone:  (11) 3873.0150
Data visita: Outubro de 2016.
Facebook: –
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Entrada, pão QUENTE e manteiga

Entrada, pão QUENTE e manteiga

Batata crocante

Batata crocante

E o bife à parmigiana

E o bife à parmigiana

 

5 03, 2016

ôxe….

Por |março 5th, 2016|Comida caseira, Comida Nordestina, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

XX01

O CTN, Centro de Tradições Nordestinas, fundado em 1991, fica no Bairro do Limão, zona Norte de São Paulo. Fácil acesso pela marginal Tietê. Conta com aproximadamente 10 restaurantes, que oferecem, obviamente, comida de origem nordestina. Embora constante em nossa agenda, estávamos devendo uma postagem sobre o local, e para isso escolhemos um dos restaurantes (todos são ótimos, mas nos acostumamos com esse), o Xique Xique (xiquexique é uma espécie de cactos comum na caatinga).

O ambiente é muito grande, com muitas mesas, e vários outros serviços, como artesanato, outras comidas típicas como acarajé, lojas que vendem produtos típicos de várias regiões do nordeste do país (vale passar para experimentar marcas que não são vendidas aqui no sudeste) e shows musicais (mas esses não acompanhamos).

O atendimento do Xique Xique é bom, mas apenas nos fins de semana. Durante a semana tenha paciência.

Foram provados: Feijão tropeiro e baião de dois com carne de sol e mandioca. A porção pequena é grande, serve facilmente 2 a 3 pessoas, dependendo da fome. A porção grande, daí é muito grande mesmo… servem 3 pessoas e ainda sobra para levar para casa….

Feijão tropeiro: feijão, linguiça, carne de sol, bacon, farinha, cebola couve e ovo. Ótimo!

Baião de dois: arroz, feijão, manteiga de garrafa, carne de charque, queijo coalho picado. Mandioca assada, e a boa carne de sol. Ótimo também.

Mas o que vale mesmo é o local, vale um almoço de sábado ou domingo, aproveitando a boa comida e ambiente rústico e amistoso.

AMBIENTE

Feijão tropeiro

Feijão tropeiro

Baião de dois, carne de sol e mandioca

Baião de dois, carne de sol e mandioca

Onde: R. Jacofer, 615 – Limão, São Paulo – SP
Quanto: Feijão tropeiro: R$ 40,00 (PEQ) e R$ 50,00 (GR). Baião de dois: R$ 50,00 (PEQ) e R$ 80,00 (GR)
Quando: Sexta e Sábado: 12:00–05:00. Domingo: 13:00–22:00. Segunda- Quinta 12:00–16:00
Opção Vegetariana: não.
Sugestões: É slow food, vá para demorar o tempo que for.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim. (R$ 20,00)
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: não.
Acessibilidade: Sim.
Site: –
Telefone:  (11) 3488-9400
Data visita: Fevereiro de 2016.
Facebook: –
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

XX03

xx06

 

3 03, 2016

Barnabé…

Por |março 3rd, 2016|Comida de rua, Comida di Buteco, Comida Nordestina, Regional, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

ba-06

Sim, caso o leitor não more na zona Norte da cidade de São Paulo, será necessário acessar o “Como Chegar” em qualquer aplicativo de GPS… pois é longe (pelo menos para os que moram em outras regiões da cidade)… uma “viagem” até o Parque Edu Chaves, já divisa com o município de Guarulhos. Edu Chaves foi um aviador que, dizem, utilizava o lugar como pista de treino, às margens do Rio Cabuçu de Cima. (talvez o melhor modo de chegar lá… de avião)

E lá temos uma praça, a Praça Comandante Eduardo de Oliveira, com a simpática igreja da paróquia de Nossa Senhora Aparecida. E na praça, o Barnabé… restaurante típico de comida nordestia… e vale a pena conhecer… mesmo sendo tão tão distante.

Primeiro o ambiente. É divertido e reproduz a iconografia nordestina, com diversas referências da cultura do nordeste do país. É um ambiente familiar, com a conversa nas mesas da rua, com a família que vai almoçar e com a cordialidade das pessoas que aparentam conhecer cada novo cliente que chega.

Assim é também o atendimento, cordial. A falta de treinamento profissional não é uma falha, deixa sim a conversa com os atendentes bem mais humana.

Mas são os pratos servidos que forçam o interessado em boa comida a fazer um tour pela zona Norte de São Paulo (que precisamos explorar mais, pois há ótimas opções por lá!). Então…

Entrada: torresmo, crocante por fora, muito macio por dentro. Esqueça a quantidade de calorias que com certeza minimizará em alguns meses a previsão de tempo de vida e experimente… Talvez o prazer faça ganhar esses meses perdidos de novo.

Outra entrada: queijo coalho assado com mel de engenho. (mel de engenho é feito com o caldo de cana evaporado e com o açúcar concentrado). Mais alguns meses aqui…

Porção: carne de sol puxada na manteiga de garrafa, com pimenta biquinho, cebolinha pérola, alho assado (!!), e mandioca frita… acredito que a foto abaixo é suficiente.

Sobremesa: sorvete da casa, sorvete artesanal de nata, com muito doce de leite caseiro e castanha de caju…. ok, muito bom, mas…

Mas tinha a tal da taça Gravatá, com sorvete de graviola, com geleia de morango orgânico, com bolo pão de ló e com biscoito crocante de coco….

Há muitos outros pratos para provar no local. Valendo então o retorno, não apenas pelo bom custo x benefício, mas pela comida mesmo.

COMIDA

Carne de sol

Carne de sol

Onde: Praça Comandante eduardo de Oliveira, 141 – Pq. Edu Chaves, São Paulo, SP.
Quanto: Torresmo (porção): R$ 6,50. Queijo Coalho: R$ 6,50. Carne de Sol: R$ 39,90. Taça Gravatá: R$ 13,90. Sorvete da casa: R$ 10,90.
Quando: segunda a quinta 12-23h. Sábado 12.00h. Domingos: 12-17h.
Opção Vegetariana: não.
Sugestões: “vail lá”.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não
Perto do metrô: não… não mesmo.
Acessibilidade: Não.
Site: http://www.barnaberestaurante.com.br/
Telefone:  (11) 2242 2435
Data visita: Fevereiro de 2016.
Facebook: –
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Torresmo

Torresmo

Queijo coalho com mel de engenho

Queijo coalho com mel de engenho

Sorvete da casa, com doce de leite

Sorvete da casa, com doce de leite

Taça Gravatá

Taça Gravatá

12 09, 2015

Padaria… só que não…

Por |setembro 12th, 2015|Padarias, Restaurantes, São Paulo|1 Comentário|

sta02

Um post rápido, não previsto. Inicialmente a ideia era comer alguma coisa com excesso de carboidratos em uma padaria do centro, já que estávamos na Praça Doutor João Mendes, atrás da Catedral da Sé, perto do Sebo do Messias, da paróquia São Gonçalo e do tribunal de Justiça de São Paulo, todos lugares típicos dessa nossa grande cidade.

E a padaria está ali desde 1872, considerada a mais antiga padaria da cidade… como muitas outras construções. Centro velho e magnífico.

Entramos na padaria e os lanches e salgados já nos conquistaram. Mas uma escondida placa, no canto da padaria, mencionava um “restaurante” no pavimento superior, e a curiosidade foi mais forte. felizmente o resultado foi uma agradável surpresa.

Um restaurante com cara de passado, do bom passado de São Paulo. Frequentado pelos que ali trabalham, ou que apenas passam pela Praça. Talvez advogados, juízes e julgados. E pessoas curiosas… ou ávidas por novas experiências gastronômicas.

Ali o serviço é das antigas, garçons que sabem o que fazem, conhecem os pratos servidos. E sugerem opções do cardápio. Conversam o necessário e dosam a simpatia com o profissionalismo.

A opção do almoço foi pelo escalope ao molho madeira, com arroz e purê de batata. O prato para uma pessoa serviria bem duas… É bem servido, e preço razoável, ainda mais com a Catedral da Sé ornando a paisagem vista pela janela.

Comida boa, sem surpresas, vale a visita pelo ambiente.

AMBIENTE

ambiente tradicional e confortável.

ambiente tradicional e confortável.

Onde: Praça Doutor Joçao mendes, 150 – Centro, São Paulo, SP.
Quanto: pratos entre R$ 30,00 e R$60,00 para uma pessoa.
Quando: segunda a sábado 6-22h. Domingos e feriados: 7-22h.
Opção Vegetariana: sim.
Sugestões: provar a coxinha e sentar próximo à janela.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Sim.
Perto do metrô: Sé.
Acessibilidade: Não.
Site: http://www.padariasantatereza.com.br/
Telefone:  (11) 3101-9631
Data visita: Setembro de 2015.
Facebook: https://www.facebook.com/PadariaSantaTerezaOficial
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

escalope ao molho madeira, arroz e pur~e.

escalope ao molho madeira, arroz e purê.

sta03