8 08, 2015

Feijoada no centro de São Paulo

Por |agosto 8th, 2015|Bar, feijoada, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

São Paulo, início da tarde, hora propícia para começar o almoço de sábado. O bar/restaurante fica voltado para a praça Don José Gaspar, uma ilha no centro velho, coberta pelas copas das árvores, tranquila e também protegida pela Biblioteca Mário de Andrade. E o ambiente faz jus à literatura desse paulistano, autor do livro Pauliceia Desvairada, de 1922, ano da Semana de Arte Moderna da qual também foi protagonista. Só a presença da biblioteca com características art déco, e um dos maiores acervos do país, fundada em 1925, obra do arquiteto francês Jacques Pilon, já traz o diferencial para a visita.

Quase um retorno aos anos idos, 1950, 1960, vê-se porque São Paulo era tão cantada, e, embora hoje degradada, passar algumas horas nesses escondidos locais, nos faz rever a importância de valorizarmos estabelecimentos como esse que prezam a riqueza da cultura gastronômica paulistana.

O restaurante é o tradicional Cachaçaria do Rancho, ótimo atendimento, localização privilegiada, e claro, ótima comida. E como sábado é dia de feijoada, foi esse o prato pedido.

Já provamos muitas feijoadas, muitas delas em restaurantes em bairros nobres, com todo excesso de cuidados e decorações para tornar a feijoada “de gastronomia”… não… feijoada é para comer no bar, em mesa com vista para praça, ou mesmo na praça, sob a sombra das árvores. Acompanhada com cerveja, caipirinha e roda de samba. E isso tudo tem ali na Cachaçaria do Rancho. Lugar animado, atendimento gentil, comida boa e preço justo. Não tem muito o que comentar.

Além da feijoada há um amplo cardápio, mas se for  num sábado, peça o prato típico.

A feijoada é muito boa, mas a visita vale mesmo pelo lugar.

AMBIENTE

feijoada "light"

feijoada “light”

Onde: Praça Don José Gaspar, 86/90  – Centro, São Paulo, SP.
Quanto: feijoada para 3 pessoas: R$ 90,00. Feijoada carioca (para 1 pessoa): R$ 30,00. Feijoada light (serve 2 pessoas): R$ 45,00.
Quando: segunda a sábado. 12:00- 0:00h.
Opção Vegetariana: não. Talvez batata frita
Sugestões: ligue e reserve sua mesa, ou chegue cedo para evitar longas esperas.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Anhangabaú.
Acessibilidade: Não.
Site: –
Telefone:  (11) 3259-7959
Data visita: Agosto de 2015.
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Cacha%C3%A7aria-do-Rancho/277367529098578-
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

feijoada light.....

feijoada light…..

 

7 01, 2015

só para constar: o bom e velho PF

Por |janeiro 7th, 2015|Bar, Comida di Buteco, PF|0 Comentários|

ET3

Esse é um daqueles bares de esquina de bairro, que conseguem angariar fãs, e promover um boca a boca que faz desnecessária qualquer divulgação em meios publicitários.

No bairro da Vila Romana, qualquer lapeano (já que o bairro faz parte do distrito da Lapa, zona Oeste de São Paulo) conhece bem uma das esquinas mais famosas do bairro, rua Aurélia com rua Tito, e esta última nomeia esse boêmio e bem conhecido bar, o Estrela da Tito.

É um post rápido, o Estrela da Tito oferece os tradicionais PF (“prato feito”, uma versão popular do que conhecemos como “empratados”). Como dito, é um bar de esquina, com poucas mesas no interior, mas o suficiente no lado de fora, protegidas por um toldo verde. Simples e o que vale é a comida.

Simples, caseira, bem temperada, rápida e numa justa porção. Há os pratos do dia, e as opções a la carte. Como sugestão estão os filés e a feijoada, mas os peixes também não deixam a desejar.

Enfim, vale a visita:

COMIDA

Onde: Rua Tito, 638. Vila Romana. São Paulo, SP.
Quanto: Preços variam entre R$ 18,00 e R$ 30,00. Alguns outros pratos como a feijoada para 7 pessoas chega a R$ 120,00
Quando: 11:00 às 21:00.
Opção Vegetariana: tem a salada de entrada…
Sugestões: –
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Não.
Site: http://www.estreladatito.com.br/
Telefone:  11-2667-6399
Data visita: Dezembro de 2014.
Observações: -.

Contra filé aos 4 queijos, com mussarela, provolone, queijo prato e catupiry

Contra filé aos 4 queijos, com mussarela, provolone, queijo prato e catupiry

 

Detalhe

Detalhe, acompanha arroz e ótima batata frita.

7 01, 2015

O bom atendimento

Por |janeiro 7th, 2015|Bar, Pizza, São Paulo, Vegetariano|0 Comentários|

casa da pizza_RED

Faz muito tempo que não postamos novidades. Não por falta de visitar muitos estabelecimentos, mas por falta de tempo mesmo. Assim estou resgatando algumas fotos do ano anterior tentando postar algo interessante, com alguma relevância, não apenas comentários sobre as comidas, mas como é proposta desse blog, das experiências gastronômicas, sejam estas de qualquer categoria!

Nos últimos meses foram vários restaurantes visitados, lanches de rua, os tais dos food trucks, comida experimental, entre outros… Mas nada que pudéssemos considerar como diferenciais… comer cachorro quente ou sanduíches de salmão num super truck nem sempre é uma boa experiência… logo, conforme a filosofia do blog, não devem ser publicados. Para que tenham noção, semanalmente comemos em pelo menos 2 lugares diferentes, o normal considerando a semana fica em aproximadamente 4…o que resultaria em inúmero posts, mas não, como dissemos, não é essa a diretriz. Também não nos importamos com os lugares da moda… alguns até gostamos e são postados. Mas a maioria é grife, e com esses não compactuamos. Somos leigos, embora nossas atividades profissionais estejam ligadas ao tema, por isso o objetivo também é nos divertirmos e usar a experiência para sugerir opções para os leitores!

Enfim, chegamos a essa pizzaria no longínquo  bairro de Interlagos que, segundo consta, foi concebido em 1920 por um engenheiro inglês, um tal de  Louis Romero Sanson, que desejava criar ali um resort entre as represas (Guarapiranga e Billings). Aliás é esse um dos pontos altos desta Casa da Pizza, fica às margens da represa do Guarapiranga (aquela mesma que seca mais a cada dia…. espero reler essa nota daqui um ano dar risada sobre esse absurdo já resolvido, só que não…), criada em 1908 a fim de suprir às necessidades de produção de energia elétrica na Usina Hidrelétrica de Paranaíba (wikipedia.org). O nome vem de um pássaro “guará” e da cor vermelha “piranga“.  Tudo na zona Sul da cidade de São Paulo.

Mas voltando à pizzaria, inaugurada em 1998, o ambiente é familiar, sem ostentações, decoração tradicional com muita madeira, iluminação eficiente, ar condicionado, enfim, básico e confortável. Fica LOTADO nos fins de semana, com fila de espera de algumas dezenas de minutos. Assim mesmo a atendente gerencia a multidão com simpatia. A pizza é ótima, com grande variedade no rodízio. Aliás, o rodízio é a melhor opção na visita. Mas não vou falar da pizza, ela já basta, é ótima, há outras melhores, claro, mas seguindo nossos quesitos de análise, vale o retorno!! A pizza é boa mesma, caso haja dúvidas!

Mas, o mais importante: o atendimento. Já falei algumas vezes que ser garçom também é uma escolha, o cara está lá porque gosta do que faz, e minha admiração por esses profissionais é grande. No caso de um rodízio com centenas de pessoas sendo atendidas, a experiência e o bom humor são essenciais. Também acho que há um certo “felling” nos bons profissionais, sabem o tipo de cliente e como agradá-los. É o atendimento rápido, cordial, que prevê suas necessidades, basta apenas chamar o garçom e ele já sabe o que o cliente deseja. E isso sentimos na Casa da Pizza.

Profissionais que provavelmente estão na casa a muito tempo, já disse também que ser atendido por esses profissionais “da antiga” é sempre melhor do que essas lanchonetes que investem erroneamente em atendentes despreparados, sem atenção, prepotentes que só prejudicam o nome de alguns estabelecimentos.

Na Casa da Pizza é diferente, os garçons são rápidos, bem humorados, ágeis no atendimento, cuidam eficientemente de suas praças, o que no caso de um rodízio há necessidade de muito jogo de cintura. No primeiro atendimento, já avisado da preferência vegetariana de um dos visitantes, o garçom não ofereceu nenhuma opção com carne, e ainda a cada pizza vegetariana que saia do forno a mesa era uma das primeiras a serem servidas. O tempo de espera por novas fatias era praticamente nula. Assim, nota 10,0 para o atendimento da Casa da Pizza. Esperamos que continuem assim!!!

Fica aqui os parabéns à equipe do salão pelo atendimento! Certamente o retorno é garantido.

Como a visita foi informal, e a decisão da postagem foi posterior, não há mais fotos… mas vale a dica, vá pela pizza, e surpreenda-se com a nossa escolha de decisão pela visita:

ATENDIMENTO

Onde: Av. Atlântica, 3.999 (antiga Robert Kennedy). Interlagos. São Paulo, SP.
Quanto: O rodízio tem preço justo, entre R$ 22,00 e R$ 30,00.
Quando: todos os dias a partir das 18h.
Opção Vegetariana: Sim.
Sugestões: –
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Sim.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Não.
Site: http://casadapizza.com.br/web/
Telefone:  11-5668.6387
Data visita: Outubro de 2014.
Observações: -.

14 02, 2014

… cão véio mano…

Por |fevereiro 14th, 2014|Bar, Bares, Cerveja, Comida de rua, Comida di Buteco, Restaurantes, Sanduíche, São Paulo|0 Comentários|

cv-01

Rock,n roll e bom atendimento. Garçons com cara de bravos, mas simpáticos e, o melhor, conhecem os pratos e as bebidas que servem. Ambiente lotado de referências visuais, com quadros estranhos, móveis vintages, mas muito agradável.

É o Cão Véio, Bar cheio de contradições, mas um dos primeiros que valem a postagem neste blog. Porque o que vale é a experiência, e esse lugar proporciona isso. Ambiente agradável, atendimento especializado e cordial, uma boa carta de cervejas e a comida, ótima, equilibrada, bem produzida.

O Cão Véio é um desses bares que surpreendem. Pelos motivos acima citados e outros. Como o fato de ser um empreendimento do consagrado Chefe Henrique Fogaça (do Sal Gastronomia) e do Badauí, da banda CPM 22. Aí não tem erro, a boa comida e rock’n roll são certezas nesse bar.

Mas ok, temos os pratos (pois as cervejas deixaremos por último!!). Foram provados 3. O primeiro e mais pedido, o Fila Brasileiro, com filé mignon empanado, queijo gruyere e gorgonzola, acompanha um molho picante, mas nem tanto. Querendo algo realmente ardido, peça o “Colírio pro zóio”, pimenta da casa que é servida com conta-gotas, também à venda para os corajosos levarem para casa. Os leitores sabem que adoramos pimenta, e já não ligamos para índices de ardência abaixo de 50 mil, logo essa pimenta nos surpreendeu, ela é ótima!

O segundo prato foi um também ardido, Bicho do Mato, com muito jalapeño e linguiça de cateto gratinada. É um daqueles pratos que cada garfada provoca sabores diferentes. É picante na medida certa, mas desaconselhável para os mais sensíveis, peça harmonização com alguma cerveja de trigo. O último prato, um tipo de escondidinho de carne desfiada de cabrito, muito macia, e queijo gratinado. A sugestão é simples, peça essa prato. TAMBÉM.

Vale já citar que os preços são justos, fato difícil de encontrar em bares similares.

Às cervejas então.

Vou começar pela última, a espahola Estrella Damm Inedit, onde o renomado chefe catalão Ferran Adriá colocou sua mão, acrescentando toques de casca de laranja e alcaçuz. É uma das certas pedidas.

Seguem: a refrescante cerveja escocesa Brew Dog Dead Pony Club. A curitibana Diabólica, uma India Pale com 6,66% de graduação alcoólica. A já consagrada All Day IPA da americana Founders Brewing. Na sequência, ufa, a Houblon Chouffe, uma cerveja belga  amarga, conhecida como cerveja do duende por razões óbvias. (caso não seja tão óbvio, veja o rótulo, e não, não é devido à alta graduação alcoólica de 9%.).

Esse é um daqueles bares que certamente retornaremos, sugestão do amigo José Maria.

Difícil escolher qual o diferencial do restaurante, o ambiente é ótimo, o atendimento idem, mas a comida realmente é o melhor. Então, a escolha é pela…

COMIDA

 clique nas fotos para ampliar

escondidinho, fila brasileiro e ojalapeño com linguiça de cateto.

escondidinho, fila brasileiro e ojalapeño com linguiça de cateto.

A refrescante Brew Dog Dead Pony Club, a diabólica, e a houblon chouffe

A refrescante Brew Dog Dead Pony Club, a diabólica, e a houblon chouffe

Onde: Rua João Moura, 871. Pinheiros. São Paulo – SP.
Quanto: Porções: entre R$ 15,00 e R$ 30,00. Cervejas: entre R$ 10,00 e R$ 50,00
Quando: 2ª-6ª (16H-00H); sábado (16h-01h). Domingo não.
Opção Vegetariana: NÃO!
Sugestões: peça sugestão de harmonização entre os pratos e cervejas.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Estação Clínicas.
Acessibilidade: não.
Site: –
Telefone: 11.4371-7433
Data visita: Fevereiro de 2014.
Observações: optamos por um horário tranquilo, mas o bar costuma ficar bem cheio. E por último: SE BEBER, NÃO DIRIJA.

 

A melhor, a espanhola Estrella!

A Hardcore IPA, e a melhor de todas, a espanhola Estrella!

 

22 09, 2013

Giba

Por |setembro 22nd, 2013|Bar, Bares, Comida di Buteco, Pastel, São Paulo|0 Comentários|

giba 01

O Giba tem um bar. O Giba é santista. O Giba é simpático e sempre está conversando com os clientes. O Giba também cuida de seu bar, limpa até as mesas. Mas o mais importante é que o Giba faz o melhor pastel de palmito com catupiri que já provamos! E é dele, do pastel, que vamos falar.

O Bar do Giba é um daqueles bares de esquina, tem gente sentada nas mesas da calçada falando alto. Tem até gente sentada em mesas altas nas ruas, e também falando bem alto. É um público eclético, tem a família que passeia pelo salão com as crianças, tem cinquentões, quarentões, trintões e vintões também… até um publico teen, acompanhados pelos pais. Tem também o público cativo de Moema, que falam muito e confraternizam com qualquer pessoa que esteja disponível.

O bar está ali desde 1987, comandado pelo ex-bancário Giba. Tem aquela decoração clássica de boteco de anos passados, com piso gasto pelo tempo, muita madeira no balcão, garrafas de bebidas já extintas em prateleiras que encobrem as paredes, flâmulas do Santos Futebol Clube, fotos de visitantes ilustres e ídolos do samba.

O que comer ou beber? Pergunte ao garçom ou procure algo que agrada nas pequenas lousas penduradas em quase todas as paredes do bar, afinal não há cardápios!!! É isso mesmo, as escolhas são simples, e vale o conselho, peça pastéis! São vendidos em porções mínimas de 3 unidades. Também não aceitam cartões de crédito ou débito.

Sobre o serviço, no dia da visita, um sábado, havia poucos atendentes, o que maximizava o tempo da chegada dos pedidos na mesa. Vale portanto a dica, peça tudo o que deseja de uma vez só!

Mas quanto ao pastel, a massa é ótima, embora não feita na casa, e o recheio também fantástico! Vem quente, preenchido totalmente de catupiri e palmito. Os outros sabores provados, carne e queijo são simplesmente bons.

Vale o retorno e a repetição da fritura provada!!!!

pastéis...

pastéis…

Onde: Av. Moaci, 574. (esquina com a Al. Anapurus. São Paulo, SP.
Quanto: Pastel: R$ 3,80 a unidade. Cerveja Original: R$ 10,00. Refrigerante: R$ 5,00
Quando: Segunda a sexta: 17:00 à 1:00h. Sábado a partir da 13:00h.
Opção Vegetariana: Sim.
Sugestões: experimente a pimenta da casa. (!!!!)
Como pagar: dinheiro.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Não.
Site: 
Telefone: (11)  5535-9220
Data visita: Setembro de 2013.
Observação: –

Bar do Giba de esquina

Bar do Giba de esquina

13 08, 2013

Logo ali… na ilha

Por |agosto 13th, 2013|Bar, Peixe, Santos|0 Comentários|

2

Que tal: isca de peixe frito e doce caseiro em uma vila de pescadores numa pequena ilha.

Bom? Claro! Melhor ainda se ficar a 1 hora e 45 minutos da capital São Paulo.  A ilha Diana fica na parte continental de Santos, acessada apenas por barcos, travessia que dura aproximadamente 20 minutos saindo do porto de Santos, atrás do prédio da Alfândega no centro velho da cidade. Apesar da proximidade, é isolada, mantendo características da população caiçara.

Passeando pela única rua da comunidade, é possível conversar com o “prefeito” da ilha, Sr. Adriano, que conta histórias sobre o local, assim como o interesse em manter um ambiente familiar e seguro, lá crianças ainda brincam nas ruas.

A sugestão foi o Bar da Ilha, sob comando da Sra. Tereza e do Sr. Hélio. E a opção, iscas de peixes, com molho “rosé” e cerveja. E aí o ambiente faz o sabor: local tranquilo, com pessoas amistosas, clima ameno, cheiro de mar. Lugar perfeito, claro que sem qualquer preocupação com conforto, mas mesmo assim valendo a visita!

O doce de abóbora com coco, caseiro, aquele que nossas avós faziam… aguçando a memória afetiva!

É importante, aos interessados em visitar o local, telefonar e verificar horários de funcionamento. Assim como controlar os horários das balsas que navegam até ali, basta acessar: http://www.cetsantos.com.br/.

Bar da Ilha

Bar da Ilha 

Onde: Ilha Diana, Santos, SP.
Quanto: Pratos em média R$ 15,00 a 50,00
Quando: qualquer dia… basta avisar.
Opção Vegetariana: Não.
Sugestões: –
Como pagar: dinheiro.
Estacionamento: Não. Só para o barco.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: não mesmo!!!
Acessibilidade: Não.
Site: –
Telefone: (13) 3019.5418 (Hélio e Tereza)
Data visita: Agosto de 2013.
Observação: Segundo o prefeito em Setembro é tempo de caranguejo, logo estaremos lá!

Iscas de peixe frito

Iscas de peixe frito

Doce de abóbora com coco.

Doce de abóbora com coco.

21 01, 2013

Lá do Litoral… mas longe da praia

Por |janeiro 21st, 2013|Bar, Comida di Buteco, Restaurantes, Santos|0 Comentários|

Em Santos, o bairro da Pompéia muito se assemelha à Pompéia da capital São Paulo. Ruas tranquilas, arborizadas e propícias para a conversa de rua, preferencialmente em um dos inúmeros bares, tanto da capital quanto do litoral.

O bar Bodegaia fica ali em Santos, na rua República Argentina a 6 anos, tem a decoração rústica, mas que promove a boa interação entre fregueses, suas famílias e os atendentes. Atendimento que deixa a desejar em alguns momentos, com garçons displicentes e, na ocasião, não conhecedores dos pratos e bebidas que o restaurante/ bar serve. Claro que não atrapalha o bom ambiente e comida, mas poderia melhorar nesse quesito. O samba de raiz calmo deixa o clima bem agradável.

Faltam também cuidados nos detalhes, como a boa higienização de utensílios e limpeza das mesas.

Agora os pontos positivos. Foi escolhido o escondidinho de carne seca, recomendado pelo garçom como um dos pratos mais servidos,  e o mesmo não decepcionou. A apresentação é simples, mas correta, possui bom tempero, pouco sal, textura e temperatura também equilibradas. Vale a pedida, e o preço é justo.

Os pratos servidos na telha possuem boa apresentação e certamente serão a opção na próxima visita. Vale citar que na foto do site o escondidinho é apresentado na telha, mas no serviço o mesmo foi entregue na cuia de barro.

Destaque para a boa carta de cachaças e as cachaças aromáticas (bananinha, abacaxi, cravo e canela, entre outras)

Escondidinho de carne seca do Bodegaia.

Escondidinho de carne seca do Bodegaia.

 

Onde: Rua República Argentina, 80. Santos, SP.
Quanto: escondidinho de carne seca: R$ 26,40
Quando: Segunda a domingo.
Opção Vegetariana: Sim.
Sugestões: Pimenta da casa, com dedo de moça e cumari.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Não.
Site: http://www.bodegaia.com.br
Telefone: (13) 2202-2396
Data visita: Dezembro de 2012.
Observação: –