14 04, 2017

“ora poish”… bacalhau

Por |abril 14th, 2017|Restaurantes|0 Comentários|

Meu bisavô era da terrinha, a conhecida Portugal. O que transformava em um absurdo o fato de, quando criança, não suportar o tal do bacalhau, sempre presente nas mais diversas ocasiões na casa de meus avós. Felizmente as coisas mudam. Não só mudam, mas parece que esses tais genes nos obrigam a recordar o passado, com o desejo gigante de comer esse peixe salgado. Passa-se então a buscar no Google: “restaurante com bacalhau”… e apareceram muitas opções, mas 3 interessantes, votação feita e o escolhido foi o “Quinta do Olivardo”.

Bom, era domingo, e “quinta” nesse caso é qualquer propriedade de características rústicas e cercada de árvores, conforme a tradição portuguesa, e esse restaurante é assim, uma propriedade que traz o clima das fazendas para um passeio de fim de semana.

A primeira impressão é “caramba, deveria ter vindo mais cedo, porque tanta gente sai para comer de domingo???!!!”. Mas logo essa questão desaparece, o local é grande e possui vários estacionamentos, dispostos na propriedade.

E aí vem a segunda impressão: “caramba, deveria ter vindo mais cedo, vou esperar horas na fila!!”. Mas logo essa questão também desaparece, o lugar possui vários “quiosques”, com doces portugueses, bolinho de bacalhau, “prego no pão”, um tradicional lanche português. Além de chopp, vinho, vinho de chopp, suco de vinho, pastel e o bolo do Caco. Tem também um pseudo vinhedo e para as crianças muitas atividades.

O restaurante é arejado, tem uma grande sacada onde se pode ver a paisagem de São Roque, cidade a cerca de 60 km de São Paulo.

Há muitas opções no cardápio, mas nem todas disponíveis. Problema que foi contornado com simpatia pelo garçom, que sugeriu um prato conforme nosso desejo, um bacalhau em postas, no forno e com muito azeite. Também com batatas, cebolas, tomates, azeitonas pretas e ovo cozido. Bem servido e bem montado no prato pelo sempre simpático garçom. Nem preciso falar que é muito bom!!

No restaurante, os proprietários percorrem constantemente o salão. Ótimo! Parabéns!

Sobremesa: pastel de Santa Clara, pastel de Belém (nata) e pastel de Coimbra. Opte pelos três na primeira visita, já na segunda peça de uma vez os três dos pastéis de Belém. É o melhor, vem quente, já que produzem todos os dias, e pelo visto em grande quantidade, a cada hora um sino toca avisando que nova fornada saiu! E não sobra um.

Ah, agradeço a ótima companhia desta vez da Thielly Zamorano, que entende mais de comida do que a maioria, e que transforma qualquer refeição numa contínua sequencia de piadas inteligentes!

A comida é ótima, o atendimento idem, mas a visita vale pelo lugar:

Bacalhau, arroz e batatas.

Suco de uva, ou vinho.

Onde: Estrada do vinho, km 4. São Roque, SP.
Quanto: ceviches: Pratos com Bacalhau: entre R$ 163,00 e R$ 188,00. Sobremesas: R$ 7,00. Bolinho de bacalhau: R$ 7,00. Leitão à bairrada: R$ 187,00.
Quando: domingo à quinta: 9:30h às 17:30h. Sexta e sábados: 9:30h às 22:30h.
Opção Vegetariana: NÃO.
Sugestões: passe na lojinha antes de ir embora, opções de doces, vinhos, e produtos portugueses.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: o que é metrô?
Acessibilidade: Não.
Site: http://quintadoolivardo.com.br/
Telefone: 11 4711.1100 / 4711.1923
Data visita: Abril de 2017.
Facebook: https://www.facebook.com/QuintadoOlivardo/
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Lugar agradável


Vinhedos só para turista ver.

Os tais doces portugueses

Prato pronto

20 06, 2011

Fogazza junina

Por |junho 20th, 2011|Interior SP, Pastel, Vinho|0 Comentários|

Festa de Santo Antônio

Festa de Santo Antônio

Festa junina tradicionalmente tem pastel e pescaria, mas nessa em Jundiaí tem também fogazza. Claro que há outras inúmeras festas juninas com inúmeras outras comidas “típicas”, mas o Guia aproveitou a ida pela busca dos vinhos da região de Jundiaí, mais especificamente em Caxambú, para visitar a 47ª Festa de Santo Antônio.

E aí temos 3 informações importantes: Jundiaí: a cidade é próspera, populosa e possui, além das festas católicas, inúmeras industrias na região, como a Cereser, que lá possui um museu do vinho, Coca Cola, Sadia, Parmalat, entre outras. São 370 mil habitantes na região. A fogazza é napolitana (Itália), e possui uma massa parecida com a de pizza recheada e assada, mas muitas vezes também fritas, como é o caso da provada na festa citada. é importante não confundir com a focaccia! E por último os vinhos, há um roteiro de adegas em Jundiaí, próximas à rodovia João Cereser. São em sua maioria vinhos jovens, poucos ácidos e de baixo tanino, e alguns excessivamente doces. Ideal para conversas descompromissadas, ou para acompanhar almoços informais. Não opte por esses vinhos caso deseje fazer uma degustação entre amigos.

Há vinhos Bordô, seco e suave. Branco suave, moscatel e niágara. Além das cachaças da região.

Vale a visita.

Fogazza

Fogazza

 

Onde: Jundiaí, SP. (60 km de São Paulo)
Quanto: Fogazza: R$ 3,00. Vinhos: entre R$ 12,00 e R$ 25,00.
Quando: todos os dias, das 10:00h às 18:00h. Festa de Santo Antônio apenas fins de semana de Junho.
Opção Vegetariana: SIM.
Sugestões: Leve alguém para dirigir, pois em todas adegas há degustação dos vinhos!
Como pagar: dinheiro.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Não.
Site:
Telefone:
Data visita: Junho.
Observação:
Adega Maziero: Av. Maria Negrini Negro, 2051. Jundiaí, SP.
Adega Beraldo di Cale:  Estarda Municipal de Jarinu, km12. Jundiaí, SP.
Adega Brunholi: Av. Humberto Cereser, 5900. Jundiaí, SP.

vinho e cachaça da região