17 01, 2017

Mercado I: Comedoria

Por |janeiro 17th, 2017|Comida de rua, Peixe, Quiosque, Regional, Sanduíche, São Paulo, Típicas|0 Comentários|

“Gosto do bairro de Pinheiros”, dificilmente encontra-se um paulistano que discorda dessa afirmação. Pinheiros (na zona Oeste da cidade de São Paulo, próximo às margens do rio de mesmo nome) é um bairro contemporâneo, embora seja um dos mais antigos da cidade (alguns dizem que é o mais antigo). Surgiu no século XVI, a partir de aldeias indígenas expulsas de outras localidades pelos portugueses. Mas o bairro começou a se desenvolver mesmo com a chegada dos bondes e do Mercado Municipal de Pinheiros em 1910, na época chamado “mercado dos caipiras”.

Ele perdeu essa alcunha, mas o Mercado continua atrair muita gente, principalmente depois das reformas que o tornaram um novo centro de gastronomia popular. Mas antes vale o histórico: primeiro, seu nome completo é “Mercado Municipal Engenheiro João Pedro Carvalho Neto”. Foi reinaugurado, já no novo endereço, em 1º de março de 1971. O projeto é dos arquitetos Eurico Prado e Luiz Telles. Mas só em 2014, já restaurado, veio o diferencial, o mercado foi atualizado, dando aos paulistanos não apenas um local para compra de produtos, mas sim uma área de reunião e convivência, proposta que contribui para a utilização de áreas dessa tipologia.

Hoje, além dos antigos box do mercado, encontra-se alguns restaurantes consagrados, como o Mocotó, instituto Atá (Alex Atala), e a cevicheria do chef boliviano Checho Gonzales, a Comedoria Gonzales.

Essa foi a nossa primeira escolha. A Comedoria fica no BOX 85, no final da passarela da entrada principal. É um box simples, mas bem resolvido, não há mesas, e o atendimento é feito no balcão ou em poucas mesas altas próximas ao local. Sempre está lotado. Com longas filas, o que, nesse caso, pode significar a apreciação do mercado, sempre colorido e cheio de pessoas peculiares transitando em seus amplos corredores.

O prato principal da casa é, claro, o ceviche. Há quatro opções como suco de manga, suco de milho, cambuci ou gergelim, com peixe ou frutos do mar. O de Cambuci (fruta típica da Mata Atlântica) é curioso. Peixe, suco de cambuci, suco de limão, suco de tomate, cebola roxa, tomate, pimenta dedo de moça, milho verde e farofa. Muitos dizem que os ceviches dali são os melhores de São Paulo, concordo, mas coloco entre os 2 melhores. O ceviche é muito equilibrado, o suco de limão não prevalece (como muitos na cidade), traz pouca acidez e leve ardência da pimenta. Nenhum sabor em evidência, e sim todos os componentes com boa proporção. Vale notar que a porção vem na medida correta, nada daqueles ceviches em pratos fundos que alimentariam 2 pessoas. Isso é um ponto positivo, comida não deve ser servida em grande quantidade, mas sim em boa qualidade.

O Choripán tem origem Argentina, é uma versão de nosso pão com linguiça. Mas com o diferencial: pão crocante, lembra o italiano; linguiça de textura macia, com pimenta; molho vinagrete. Lanche simples feito com qualidade.

Sobremesa: 3 leches, pão de ló com calda de leite e doce de leite. (só o doce de leite já comprova que o bolinho é muito bom!!!)

Atendimento rápido e simpático, com o Checho cumprimentando todos os clientes calmamente, sem perder a velocidade do preparo dos pratos. (aqui vale o comentário, trabalhar com essa quantidade de saídas, e ainda ter que se relacionar com os clientes não é fácil, mas o chef faz isso de modo simpático, vale o respeito e admiração!)

Enfim, um local para repetir, para ir com amigos ou aproveitar que está na região e comer um lanche rápido. Vele pela comida, e ambiente. Ótimo custo benefício. (primeiro post que optamos por 2 diferenciais!)

               

 

Onde: Rua Pedro Cristi (esq. Rua Dr. Manoel Carlos Ferraz de Almeida) – nº 31. BOX 85- Pinheiros – São Paulo – SP – Brasil
Quanto: ceviches: R$ 21,00 (peixe do dia); choripan: R$ 15,00; 3 leches: R$ 9,00; cerveja: R$ 13,00.
Quando: 2ª – sábado: 10:00 – 22:00
Opção Vegetariana: NÃO.
Sugestões: acompanhe com o chopp Coruja (a cerveja viva é melhor, mas o chopp também vale MUITO a degistação).
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim, do mercado, mas sempre lotado!
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Sim, Faria Lima (linha Amarela).
Acessibilidade: Não.
Site: –
Telefone:  11. 38138719
Data visita: Dezembro de 2016.
Facebook: https://www.facebook.com/comedoriagonzales/
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

 

choripán

ceviche

“3 leches”

 

Mais sobre Pinheiros e o Mercado.

Prefeitura de São Paulo
Wikipedia
Pinheiros
Mercado de Pinheiros 43 anos depois

o mercado no início do século 20.
Fonte: http://www.gazetadepinheiros.com.br/cidades/fotos-guardam-a-historia-de-pinheiros-para-o-futuro-17-08-2012-htm

13 01, 2017

Olha a Increnca…. com “I” mesmo

Por |janeiro 13th, 2017|Pizza|0 Comentários|

Ah! Voltamos à Vila Pompéia, mas desta vez… ah, desta vez valeu a pena. E por Pizza para lá voltaremos. Afinal, a tal da Divina Increnca (assim mesmo com “I”) não tem erro, ou encrenca, a pizza vale a ida!

A tal pizzaria começou como um foodtruck, que hoje fica estacionado na porta, o que facilita a identificação da casa. Não é mais utilizado rodando pela cidade, mas serve como marco e apoio para quando o movimento supera as expectativas dos pizzaiolos, pois ainda é funcional com seu forno elétrico.

O espaço é informal, com decoração aleatória, o que o torna confortável, natural e amistoso, contribuindo para interações sociais. É a pizzaria para levar amigos, para descobrir novos sabores. Mas, para não apenas elogiar, a iluminação poderia ser melhor, já que as cores das pizzas perdem um pouco sua função em agradar visualmente o comensal.

O atendimento informal leva a conversas. É educado, mas ainda crescendo no quesito profissionalismo, natural para uma pizzaria jovem, com poucos anos de vida. Um atendimento que por isso mesmo passa a ser um diferencial, positivo no caso.

Sobre a pizza (sempre em formato individual, ou o nosso “brotinho”), vale ouvir as histórias sobre suas origens e composições. Pizza típica italiana, com fermentação longa. Torna a massa crocante, e com sabor que harmoniza com suas coberturas, sempre com ótimos ingredientes.

Optamos pela pizza Portughesa, aliás, as pizzas ali são comidas sem talheres, esta tinha: molho de tomate, muzarela, presunto, cebola roxa e ovo de codorna cozido no próprio forno. Ótima sugestão de pizza para uma ótima sugestão de pizzaria do amigo Oscar Steiner.

Seguindo, a pizza de Nutella. Essa, conforme o ditado que tudo feito com esse ingrediente fica bom, nem precisa ser comentada.

Outras opções: ciabattas, foccacias, pizzas de abobrinha, calabresa, marguerita, bianca (sem molho), com panceta defumada, salaminho, entre outras, o que torna o retorno obrigatório para provar esses sabores.

Vale a visita. E embora o atendimento e ambiente sejam ótimos, a pizza é o mais importante.

 

Onde: R. Dr. Miranda de Azevedo, 1155 – Vila Anglo Brasileira, São Paulo – SP
Quanto: Pizzas emmédia R$ 26,00 (individuais)
Quando: terça à Domingo: 19:00 – 23:00
Opção Vegetariana: sim.
Sugestões: experimente as cervejas artesanais.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Sim.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Não.
Site:
Telefone:  11. 3791-1110
Data visita: Novembro de 2016.
Facebook: https://www.facebook.com/divinaincrenca/
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Pizza Portughesa.

Pizza de Nutela.

Cerveja de trigo artesanal.

 

13 01, 2017

Garoa…

Por |janeiro 13th, 2017|Burger, Hamburguer, São Paulo|0 Comentários|

Esse é um post curto. Aí vai:

Alguns locais voltamos sempre, pelo bom atendimento, pelo ambiente, pela comida. Não é o caso do Garoa Burguer. Quer dizer, o lanche é ótimo. Embora demore MUITO para chegar.

Enfim, a lanchonete fica na Vila Pompéia. Bairro de ótimos restaurantes e lanchonetes. E o Garoa oferece um ótimo hamburguer! Bom mesmo. Mas deveria melhorar alguns itens: como o atendimento, com garçons mal humorados. Velocidade: o lanche demorou quase 45 minutos para chegar. Ambiente: escuro, não é possível “comer com os olhos”… a iluminação deixa os pratos com péssima aparência. Mas o hamburguer é bom.

É um local para família, por isso caso se incomode com crianças chorando, “cheiro” de crianças (não aquele do sabonete Johnson), crianças correndo pelos apertados corredores entre as mesas, não vá. Vá pelo Hamburguer.

Então, vale só pelo hamburguer, e só.

Onde: Rua Tavares Bastos, 779. São Paulo – SP
Quanto: Lanches a partir de R$ 29,000
Quando: Quarta a sábado das 18h às 23h15. Domingo das 17h às 22h30
Opção Vegetariana: sim +/-.
Sugestões: resiliência na visita.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Sim, mas não pela NBR9050.
Site: https://www.facebook.com/hamburgueria.garoa
Telefone:  11. 3297-1535–
Data visita: Novembro de 2016.
Facebook: https://www.facebook.com/santacoxinha/
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Hamburguer do GAROA, acompanha batatas (frias).

13 10, 2016

Coxinha

Por |outubro 13th, 2016|Coxinha, São Paulo|0 Comentários|

santa-02

Não, esse não é um post político, mas vamos falar de cozinhas. (e talvez pão com mortadela em breve).

Nossa coxinha começa na Vila Zelina, distrito da Vila Prudente, zona leste de São Paulo. A origem do bairro, conta-se, é eslava (a Eslovênia é um país do leste europeu). Lá existe a Praça República Lituana (Lituânia um país da ex-União Soviética). Enfim, é um bairro com uma longa história.

Na praça, há o Santa Coxinha, lanchonete que tem nesse salgado seu principal foco. Mas serve também esfihas, pratos comerciais, beirutes, entre outros.

As coxinhas são ótimas, crocantes, e em diversos sabores, como carne louca, cordeiro, strogonoff de frango, queijo gorgonzola, bacalhau, salmão, calabresa, atum, costelinha e até feijoada. Entre muitas outras. Vale repetir o local para experimentar todas.

O ambiente repete o conceito de decorar o espaço com peças de coleções do passado, orelhão, refrigeradores antigos e memorabilia. O atendimento é bom, mas poderia ser mais cordial. A coxinha é pequena, o que é bom para experimentar mais de uma, mas com preço de salgado de maiores proporções.

Vale o retorno. Também por oferecer refrigerantes importados, como 7up, Dr. Pepper, Crush e Coca Cola Vanila e Cherry.

Dr. Pepper

Dr. Pepper

Onde: Praça República Lituana, 73 – Vila Zelina – São Paulo – SP
Quanto: Coxinhas entre R$ 4,90 e R$ 8,90
Quando: Seg – Sáb | 10h – 22h30
Opção Vegetariana: sim.
Sugestões: não esqueça a pimenta.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Não.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: Não.
Acessibilidade: Sim.
Site: http://www.santacoxinha.com.br/site/
Telefone:  11. 2345 4249–
Data visita: Setembro de 2016.
Facebook: https://www.facebook.com/santacoxinha/
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Coxinha de carne seca com massa de mandioca e pimenta.

Coxinha de carne seca com massa de mandioca e pimenta.

A tradicional coxinha de frango com catupiry.

A tradicional coxinha de frango com catupiry.

13 10, 2016

Sopa…

Por |outubro 13th, 2016|Restaurantes, São Paulo, SESC, sopa|0 Comentários|

mafalda-sopa-1

Mafalda, do cartunista argentino Quino, tem uma peculiaridade, ela odeia sopa. Característica que compartilho, ou compartilhava. Sopa, para alguns, pode ser sinônimo de doença, ou apenas consumida no frio, o que no Brasil não é contante.

Mas enfim, para aqueles que não sabem, a sopa é responsável pela existência dos restaurantes, afinal ela era oferecida nas “casas de restauro” (daí vem o nome restaurante) no século XVI. Era um para “restaurar” as forças dos viajantes, e era um caldo com carnes e batatas.

Mas ok, disse que não gostava de sopa. O tempo verbal mudou. Admito que gosto de sopa agora. E talvez a culpa recaia para o SESC Santo Amaro e suas sopas diárias. Antes: O SESC é o Serviço Social do Comércio, entidade que conta com unidades em todo o país, e oferece espaço para práticas esportivas, culturais e gastronômica. Esse último oferecido sempre com ótima qualidade em todas as unidades.

Voltando ao SESC Santo Amaro, sua área de alimentação, ou comedoria, encontra-se na entrada do edifício, com alto pé direito, vista para a piscina e mesas de uso coletivo, valorizando a interação entre os comensais. A entrada é livre.

Ótima sopa, ótimas sobremesas e preço justo. Vale a visita. E por último possui um ótimo preço!

COMIDA

Onde: Rua Amador Bueno, 505, Santo Amaro, São Paulo – SP
Quanto: Sopa: R$7,80; sobremesas: entre R$ 3,80 e R$ 5,40
Quando: terça a sexta 10h às 21h30 / sábados, domingos e feriados 10h às 18h30
Opção Vegetariana: sim, sempre 2 opções de sopa, com e sem proteína animal.
Sugestões: Horários de pico a fila fica longa.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim.
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: sim, Estação Santo Amaro.
Acessibilidade: Sim.
Site: https://www.sescsp.org.br/
Telefone:  –
Data visita: 2º semestre de 2016.
Facebook: –
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Sopa do SESC e sobremeça de paçoca

Sopa do SESC e sobremesa de paçoca

Sopa de Palmito e bolo de maçã.

Sopa de Palmito e bolo de maçã.

Sopa de mandioquinha e mousse de limão

Sopa de mandioquinha e mousse de limão

Sopa de feijoada e creme de cupuaçu.

Sopa de feijoada e creme de cupuaçu.

Sopa de feijão e bolo comemorativo

Sopa de feijão e bolo comemorativo

Sopa de abóbora, escondidinho de frango e bolo

Sopa de abóbora, escondidinho de frango e bolo

Sopa de Carne

Sopa de Carne

20070627-mafalda_sopa

13 10, 2016

Parmegiana

Por |outubro 13th, 2016|Parmegiana, Restaurant, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

O da Pompéia está lá desde 2001, o de Pinheiros desde 1969 e já são tradicionais, e oferecem o melhor bife à parmigiana de São Paulo, falamos, claro, sobre o Restaurante Degas, que fica numa esquina da Avenida Pompéia, na Zona Oeste da cidade de São Paulo.

É conhecido por oferecer o melhor bife à Parmigiana da cidade. Como curiosidade, o nome da iguara possui duas origens, ou significa o que vem da região de Parma na Itália, ou faz referência direta ao queijo parmesão. Segundo consta esse prato não existe na região, e alguns o consideram um prato brasileiro.

Dúvidas à parte, vale citar que o prato desse restaurante é realmente ótimo, bem preparado, molho perfeito, carne macia, e muito, mas muito queijo. Vale citar as crocantes batatas.

O ambiente é agradável e o atendimento realizado por experientes garçons, cordiais e amistosos. Mas o retorno vale pela comida mesmo.

COMIDA

Onde: Av. Pompéia, 796, São Paulo – SP
Quanto: Filé à parmigiana R$ 98,00, serve 2 pessoas.
Quando: todos os dias, das 11:30 às 23:30
Opção Vegetariana: sim, parmegiana de berinjela.
Sugestões: É slow food, vá para demorar o tempo que for.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim. (R$ 15,00 a primeira hora com carimbo)
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: não.
Acessibilidade: Sim.
Site: http://www.degaspompeia.com.br/
Telefone:  (11) 3873.0150
Data visita: Outubro de 2016.
Facebook: –
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

Entrada, pão QUENTE e manteiga

Entrada, pão QUENTE e manteiga

Batata crocante

Batata crocante

E o bife à parmigiana

E o bife à parmigiana

 

5 03, 2016

ôxe….

Por |março 5th, 2016|Comida caseira, Comida Nordestina, Restaurantes, São Paulo|0 Comentários|

XX01

O CTN, Centro de Tradições Nordestinas, fundado em 1991, fica no Bairro do Limão, zona Norte de São Paulo. Fácil acesso pela marginal Tietê. Conta com aproximadamente 10 restaurantes, que oferecem, obviamente, comida de origem nordestina. Embora constante em nossa agenda, estávamos devendo uma postagem sobre o local, e para isso escolhemos um dos restaurantes (todos são ótimos, mas nos acostumamos com esse), o Xique Xique (xiquexique é uma espécie de cactos comum na caatinga).

O ambiente é muito grande, com muitas mesas, e vários outros serviços, como artesanato, outras comidas típicas como acarajé, lojas que vendem produtos típicos de várias regiões do nordeste do país (vale passar para experimentar marcas que não são vendidas aqui no sudeste) e shows musicais (mas esses não acompanhamos).

O atendimento do Xique Xique é bom, mas apenas nos fins de semana. Durante a semana tenha paciência.

Foram provados: Feijão tropeiro e baião de dois com carne de sol e mandioca. A porção pequena é grande, serve facilmente 2 a 3 pessoas, dependendo da fome. A porção grande, daí é muito grande mesmo… servem 3 pessoas e ainda sobra para levar para casa….

Feijão tropeiro: feijão, linguiça, carne de sol, bacon, farinha, cebola couve e ovo. Ótimo!

Baião de dois: arroz, feijão, manteiga de garrafa, carne de charque, queijo coalho picado. Mandioca assada, e a boa carne de sol. Ótimo também.

Mas o que vale mesmo é o local, vale um almoço de sábado ou domingo, aproveitando a boa comida e ambiente rústico e amistoso.

AMBIENTE

Feijão tropeiro

Feijão tropeiro

Baião de dois, carne de sol e mandioca

Baião de dois, carne de sol e mandioca

Onde: R. Jacofer, 615 – Limão, São Paulo – SP
Quanto: Feijão tropeiro: R$ 40,00 (PEQ) e R$ 50,00 (GR). Baião de dois: R$ 50,00 (PEQ) e R$ 80,00 (GR)
Quando: Sexta e Sábado: 12:00–05:00. Domingo: 13:00–22:00. Segunda- Quinta 12:00–16:00
Opção Vegetariana: não.
Sugestões: É slow food, vá para demorar o tempo que for.
Como pagar: dinheiro ou cartão.
Estacionamento: Sim. (R$ 20,00)
Faz entrega: Não.
Perto do metrô: não.
Acessibilidade: Sim.
Site: –
Telefone:  (11) 3488-9400
Data visita: Fevereiro de 2016.
Facebook: –
Observações: -.
Mapa: CLIQUE

XX03

xx06